miércoles, 25 de febrero de 2009

Doação de órgãos 03

Finalmente, na Wikipedia achei esta apresentação:

Qual é a atitude de cada religião em relação à doação de órgãos depois da morte?

Budismo
O budismo não tem regras nem a favor nem em contra da doação de sangue, medula óssea e órgãos.
Uma parte importante do budismo é o desejo de aliviar o sofrimento.
Morrer e a morte são vistos como um momento muito importante. O corpo deve ser tratado com respeito. Um corpo morto somente deveria ser molestado por uma razão apropriada.
Alguns budistas acreditam que a consciência fica com o corpo por algum tempo depois que a respiração tem parado. Fazer uma operação pronto demais feriria suas vidas futuras.
Outros budistas podem acreditar em que doar um órgão generosamente só pode ser um ato positivo.

Cristianismo
Os cristianos são encorajados a ajudar outros em necessidade.
Muitos acreditam que a doação de órgãos es um ato de genuíno amor cristiano e uma forma de seguir o exemplo de Jesus.
Tem várias denominações cristiana por todo o Reino Unido e o mundo e os cristianos podem seguir costumes diferentes depois da morte.
Por exemplo, algumas famílias podem manter o corpo em um caixão aberto antes do enterro para que os doentes possam dar seus últimos respeitos.
Algumas comunidades podem preferir o enterro e outras a cremação.

Hinduismo
Nenhuma lei religiosa evita aos hindus de doar seus órgãos ou tecido.
Os hindus acreditam na vida após a morte e isto é um processo permanente de renascimento.
A doação de órgãos es uma parte integral de vida hindu, como guiado por Vedas.
Os hindus acreditam na cremação.
Os membros da família do mesmo sexo lavarão e darão banho a seu parente em preparação pela cremação.

Humanismo
Os humanistas não têm crenças religiosas. Usam a razão, a experiência e os valores humanos para guiar seu pensamento.
Os humanistas percebem que a morte é inevitável e não acreditam na vida após a morte.
Um funeral humanista permite a família e amigos da pessoa falecida lembra-lo e dizer adeus.
Muitos humanistas acreditarão que têm o direito moral de doar seus órgãos depois da morte se podem ajudar a alguém mais.
Isto será visto como uma decisão individual.

Islamismo
Baseado na lei muçulmana (Shariah), o Conselho de Lei Muçulmana da Grande Bretanha apóia a doação de órgãos e os transplantes como meios de aliviar a dor ou salvar vidas.
Normalmente estaria em contra dos ensinos do Islamismo interferir com um corpo morto porem a Shariah acredita que isto pode ser anulado para salvar a vida de outra pessoa.
Alguns eruditos muçulmanos, no entanto, acreditam que a doação de órgãos não é permitida.
Os muçulmanos acreditam que a morte é o final de uma vida e o começo de outra.
Vários rituais são seguidos no momento da morte. O objetivo é que o corpo seja enterrado o mais pronto possível.

Judaísmo
O judaísmo permite a doação de sangue, medula óssea e órgãos se isso salvará vidas. No entanto tem fortes objeções de interferir com o corpo depois da morte que deveria ser enterrado intato e o mais pronto possível.
O judaísmo é claro que nenhum órgão pode ser removido de um doador até a morte, como definida pela lei dos judeus, tenha definitivamente acontecido. Isto pode causar problemas como possíveis transplantes de coração ou pulmões onde o ritmo é particularmente crítico.
Os judeus podem não concordar com que seus órgãos sejam doados para um banco de órgãos, ou para investigação médica já que não podem garantir que os órgãos doados sejam envolvidos em uma situação de salvar vidas.
Publicar un comentario en la entrada
 
Website Traffic Statisticsmortgage lenders