miércoles, 25 de febrero de 2009

Doação de órgãos 02

E claro, não podia deixar de consultar na Wikipédia:

Assuntos deontológicos

Certos grupos, como os Roma (ciganos), opõem-se a doação de órgãos por motivos religiosos, porem a maioria das religiões do mundo apóiam a doação como um ato de caridade de grande benefício para a comunidade.
(...) A ética médica dos judeus toma uma aproximação única. Aceita a doação de órgãos como um ato de caridade meritório, mas com duas condições: que o doador esteja falecido antes de remover o órgão e que o órgão seja tratado respeitosamente (e não, por exemplo, simplesmente descartado se por alguma razão se torna inutilizável). O problema ético deriva da falta de consenso na definição de "falecido". Segundo as interpretações mais estritas do halachah, "falecido" significa o cesse de toda atividade cerebral estimada. Para a maioria dos órgãos, este ponto é tarde demais para a doação for medicamente usável; no entanto, para os partidários de esta visão, qualquer remoção anterior seria o equivalente a assassinato. Dada a natureza do mercado de órgãos doados, a segunda condição limitaria a doação a casos onde tem uma necessidade conhecida e pronta para um órgão específico. Alternativamente, pode se fazer uma promessa de segurar o enterro apropriado para um órgão doado no evento que não seja transplantado. Tem sido liderado um movimento para promover a doação de órgãos de judeus à população geral pela Sociedade Halachic de Doadores de Órgãos em concordância com o halachah.

Escrúpulos religiosos

A maioria das religiões como a Igreja Católica Romana está a favor da doação de órgãos como atos de caridade e como meios de salvar uma vida. Alguns impõem certas restrições. Por exemplo, os Testemunhas de Jeová requerem que os órgãos sejam drenados de qualquer sangue, e os muçulmanos requerem que o doador tenha fornecido consentimento escrito antecipado. Uns poucos, como certas divisões do judaísmo ortodoxo o consideram obrigatório. No entanto, uns poucos grupos desaprovam a doação ou o transplante de órgãos; notavelmente, estes incluem shinto e aqueles que seguem os costumes dos ciganos.

Ampliando um pouquinho mais, aqui está o que achei referente às crenças dos Shinto:
Doação de órgãos nos Shinto

A fé Shinto está muito amarrada com a idéia da pureza, e a plenitude do corpo físico.
O transplante de órgãos é comparativamente raro em Japão porque o corpo depois da morte é impuro segundo a tradição shinto.
As tradições shinto também declaram que interferir com um cadáver traz má sorte.
As famílias ficam preocupadas por eles puderem ferir a relação entre a pessoa morta e os desconsolados (conhecidos como itai) por interferir com o cadáver.
Isto significa que muitos seguidores Shinto se opõem a tirar órgãos de aqueles que tem apenas morrido, e também recusariam um transplante de órgãos de alguém que tem morto.
Publicar un comentario en la entrada
 
Website Traffic Statisticsmortgage lenders